Certificação CONBRAC/CRAERJ: Veja como se candidatar a qualquer momento.

Certificação CONBRAC/CRAERJ: Veja como se candidatar a qualquer momento.

QUEM PODE SE ASSOCIAR AO CRAERJ

Poderão se filiar ao Conselho Regional de Acupuntura do Estado do Rio de Janeiro – CRAERJ, todos(as) os(as) Acupunturistas, pessoas físicas, com capacidade civil e idoneidade moral, que tenham sido previamente aprovadas no Exame de Certificação de Especialista em Acupuntura Tradicional CONBRAC/CRAERJ e sejam residentes ou desenvolvam o exercício profissional no Estado do Rio de Janeiro.

São SÓCIOS FUNDADORES os 10 Acupunturistas aprovados no 1º Exame de Certificação promovido pelo Conselho Brasileiro de Acupuntura – CONBRAC, em 23 de março de 2000, que assinaram a Ata de Fundação do CRAERJ.

Poderão candidatar-se a Associado(a) do CRAERJ os(as) profissionais aprovados(as) em Exame de Certificação de Especialista em Acupuntura Tradicional CONBRAC/CRAERJ, residentes ou que desenvolvam o exercício profissional no Estado do Rio de Janeiro, cujas propostas tenham sido previamente aprovadas pelo Conselho Diretor do CRAERJ, que preencham as exigências estatutárias e cumprirem as disposições do Regimento Interno.

Os documentos comprobatórios das atividades profissionais dos Acupunturistas que manifestarem o desejo de associar-se ao CRAERJ devem ser obrigatoriamente comprovados e exibidos no ato de inscrição no Exame de Certificação de Especialista em Acupuntura Tradicional CONBRAC/CRAERJ.

Para maiores informações – http://www.craerj.org.br

Acupunturista: Filie-se ao SINDACTA!!!

Acupunturista: Filie-se ao SINDACTA!!!

SINDACTA – Solicite sua filiação

História do Sindacta

Fundado em 1993, foi reativado através do esforço de acupunturistas que aceitaram compor a diretoria, ocorrida em Dezembro de 2007, tendo como Presidente, Vice-Presidente, Secretária e Tesoureiro os colegas Roberta Blanco, Walter Galvão, Patrícia Caetano e Fernando Lyra, respectivamente.

Durante os últimos quatro anos subsequentes, o SINDACTA concentrou suas ações em torno da regulamentação da acupuntura. Foram inúmeras viagens a Brasilia, eventos e participação ativa para fazer a Acupuntura .

Em fevereiro de 2011, uma nova diretoria foi eleita. Atualmente, Fernando Lyra Reis é o presidente do Sindacta, Walter Galvão continua como Vice-Presidente, e César Galvão o tesoureiro. Roberta Blanco agora compõe o Conselho Fiscal, ao lado de Arnaldo V. Carvalho e de Maria Cristina Hentzy Soares.

Além da ACUPUNTURA, profissionais que utilizam outras terapias são amparados pelo SINDACTA: Shiatsu, Tui Na, Anma, Moxabustão, Craniopuntura, Qi Gong, Auriculoterapia, Quiroacupuntura, Koryo Sooji Chim, Fitoterapia Chinesa, Cromopuntura, Eletroacupuntura, Ryodoraku, Manaka, Akabane, Laserpuntura.

Não existe outra entidade constituída junto ao Ministério do Trabalho, que possa legalmente defender estas categorias dentro do nosso Estado.

Clique aqui e saiba mais sobre como tornar-se membro do Sindacta!

Acupuntura no combate aos retrovirais

Acupuntura no combate aos retrovirais

SP vai testar acupuntura contra efeito colateral do tratamento com antirretrovirais

A acupuntura será usada para tratar lipodistrofia, que é um dos efeitos colaterais do tratamento de pacientes soropositivos com antirretrovirais. A técnica será testada pela Secretaria da Saúde de São Paulo, por intermédio do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids.

A lipodistrofia é uma alteração no organismo que leva ao acúmulo de gordura em determinadas regiões como abdômen, dorso e mamas, e diminuição de gordura no rosto, membros e nádegas. O projeto tem como objetivo avaliar o benefício da acupuntura, verificando se a técnica oriental contribui mesmo para a quebra das moléculas de gordura e melhora do tônus muscular.

O problema pode afetar adultos e crianças e a sua incidência aumenta com o tempo de uso dos antirretrovirais, influenciando negativamente na autoestima dos pacientes, o que pode resultar em transtornos depressivos e abandono de tratamento.

O centro de referência da capital paulista já promove sessões de acupuntura para pacientes da unidade, mas não com o fim específico de combater a lipodistrofia. Caso a pesquisa tenha resultado positivo, a intenção é integrar o método em toda a rede para tratar o problema. O protocolo contemplará entre 10 e 15 sessões de acupuntura.

12:05 pm, Março 16, 2011

Redação Época

Acupuntura

Acupuntura – Patrimônio intangível da humanidade

Acupuntura – Patrimônio intangível da humanidade

Acupuntura: Especialidade Multiprofissional

Acupuntura

Restabelecendo a verdade sobre os fatos.

Temos visto nas últimas décadas um crescente crescimento das Práticas Integrativas e Complementares, entre estas práticas se encontram a Acupuntura / MTC, Fitoterapia, Homeopatia entre outras, que são práticas milenares executadas na China e outros países do oriente há milhares de anos.

No Brasil a Acupuntura / MTC, foi difundida através de imigrantes chineses, japoneses e coreanos, que aqui chegaram trazendo no bojo de suas bagagens essas práticas.

O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – Coffito– foi o primeiro organismo de Estado a se preocupar com qualquer tipo de dolo social em relação à prática clínica da acupuntura , desde 1985 normatizou o exercício da mesma pelo profissional fisioterapeuta, seguido depois por outros Conselhos como Enfermagem, Psicologia, Farmácia, Medicina e Terapia Ocupacional, entre outros.

Existem hoje vários Projetos de Lei no Congresso Nacional com o intuito de regulamentarem a Acupuntura, pois a Constituição Federal garante o livre exercício de profissão não regulamentada, como é no caso a Acupuntura até que a mesma seja regulamentada pela Congresso, que tem competência para esta regulamentação.

A SOBRAFISA, Sociedade Brasileira de Fisioterapeutas Acupunturistas, entende a necessidade dessa regulamentação, mas ao mesmo tempo também defende que o exercício da Acupuntura no Brasil possa ser regulamentada de forma multiprofissional.

Não compete aos Organismos de Classe como Conselhos, Ordens e ou Sociedades, regulamentarem esse exercício, pois esta regulamentação compete ao Estado (Congresso Nacional) assim determina a Lei, o que podem exercerem estes organismos profissionais é normatizar única e exlusivamente para seus respectivos profissionais.

Sendo por tanto descabível, a tentativa do monopólio do exercício por essa ou aquela categoria profissional, mas descabível ainda é divulgar esta posição a população promovendo um verdadeiro desserviço social. Isto se tornou mais fatídico e claro com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, que desde 2006 através da Portaria 971 do Ministério da Saúde, institucionalizou no SUS – Sistema Único de Saúde (SUS) o acesso à população as Práticas no serviço público, de forma multiprofissional, seu crescimento mesmo que tímido, mas isto em momento algum dá o direito do exercício ser monopolizado por esta ou aquela categoria profissional da saúde.

A institucionalização pelo Ministério da Saúde das Práticas Integrativas e Complementares de Saúde nos termos da Portaria Ministerial 971/2006, o reconhecimento de sua relevância social pela Organização Mundial de Saúde (OMS); a necessidade de fundamentá-las eticamente ao perfundi-las socialmente sob o manejo de profissionais de saúde regulamentados; sendo a Acupuntura e outras práticas e ações já elencadas no ato administrativo do Ministério da Saúde, estão incluídas no CBO/2002, revisado no ano de 2008, publicado em 2009; as Práticas Integrativas e Complementares de Saúde, em seus exatos termos.

A acupuntura já se encontra prevista na reserva legal de diversas profissões de saúde regulamentadas sendo seu o objeto social dessas profissões de saúde regulamentadas voltadas e consolidadas aos cuidados preventivos, diagnósticos e terapêuticos indicados para a superação dos distúrbios incidentes na saúde do indivíduo e ou intercorrentes em órgãos e/ou sistemas funcionais do corpo humano.

Todos os profissionais de saúde são importantes na promoção, na educação, na restauração e na preservação da saúde e aptos a utilizarem as práticas Integrativas e complementares em seus atos profissionais.

Em 2010, a Unesco declarou a Acupuntura um Patrimônio Intangível da Humanidade com intuito de preservar sua metodologia, prática, recursos e exercício.

A Sobrafisa tem uma posição de que a Acupuntura multiprofissional é o melhor caminho para perfusão da mesma nos diversos tecidos sociais levando a acupuntura a toda a população brasileira de forma equânime.

As bases da avaliação, diagnose e prescrição terapêutica da Acupuntura não se confundem em qualquer espécie com as bases de diagnose, tratamento da saúde nos moldes ocidentais, quando se fala em diagnose em acupuntura/MTC há que se definir que essa diagnose esta sob as bases de um sistema específico que tem suas origens na filosofia chinesa e hoje estudada e pesquisada cientificamente pela saúde nos moldes atuais.

A Acupuntura tem bases preventivas, é claro e também curativas, hoje utilizada em nosso sistema de saúde, tem suas aplicações nas desordens e disfunções musculoesqueléticas, urogenitais, vasculares, digestivas, neurológicas , porém vistas sobre os aspectos da dualidade do universo em constante mutação, sobre a óptica do desequilíbrio da perda da homeostase do yin/yang (polaridades/dualidades) das energias celestes como: frio, calor, vento, umidade, secura, que quando nosso organismo não se encontra preparado sofre os intempéres das ações desses elementos da natureza, afetados ainda por disfunções psíquicas, sobre seu sistema biológico e assim adoece.

A Sobrafisa também como a OMS ( Organização Mundial de Saúde) que o melhor caminho é a união nos modelos ocidentais e orientais para perfundir a promoção, prevenção, tratamento e a verdadeira saúde par os diversos tecidos sociais de forma multiprofissional por ser o melhor para a população.

“Dados do Sistema Único de Saúde (SUS) apontam, que em 2010, mais de 15 mil Fisioterapeutas atuando em sessões de acupuntura, com aplicação de ventosas e moxas, e mais de seis mil em sessões de eletroestimulação, sendo a classe profissional que mais realiza esse tipo de atendimento”, segundo Dr. Jean Luis de Souza, fisioterapeuta, especialista em acupuntura e atual Secretário do Conselho Gestor da Sobrafisa, Presidente da Seccional Sobrafisa minas Gerais. Tais números refletem o cenário de inserção profissional dos Fisioterapeutas, que vêm tendo uma atuação mais ampla no tratamento, prevenção e promoção da saúde.

No final de 2010, foi publicada a Resolução n° 380 do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito), que regulamenta o uso das Práticas Integrativas e Complementares de Saúde pelos Fisioterapeutas. Entre elas, estão a Fitoterapia, Termal ismo, Crenoterapia, Magnoterapia e a Terapia Floral. 

Acupuntura

Pin It on Pinterest